segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Resultados Portugal Open 2008

Estamos de regresso e de ressaca de mais um dos dois grandes eventos internacionais realizados no nosso país, porque isto de acordar às cinco da manhã e deitar às quatro, com todo o esforço físico ao longo do dia, não é de fácil recuperação. Quem inventou o ditado "quem corre por gosto não cansa" estava certo, mas nós andamos sempre a correr, é por gosto, claro está, mas ficamos cansados!

As peripécias começaram cedo, portanto. À espera desde as 6 menos 10 da manhã, e tendo em conta que o autocarro chegou uma hora depois (temos que ajustar contas com determinado dançarino da Bracaradance), o CC não aguentou e teve que ir à casa de banho da BP. O carro da mãe dele quis ajudar à festa e precisou de ser empurrado. Quando chegou a camioneta ele não estava e nós simplesmente não estávamos certos se o carro subiria a rua 19 novamente : )
Com tanta correria, o CC ficou mal-disposto, mas a Raquel tratou dele e ensinou-lhe como passar pelas pernas de um jovem adormecido quando se quer atravessar o corredor de um autocarro. Não é tarefa fácil.

Independentemente de madrugarmos e fazermos esforços pela dança, o evento foi de grande qualidade e valeu a pena, já que estiveram presentes alguns dos melhores pares do mundo: Mirco Risi & Maria Ermachkova, de Itália, os justos vencedores (ficaram em 15º lugar no German Open deste ano), Gennady Bondarenko & Elena Zverevshikova, da Alemanha, (4º lugar nesta competição), Charles-Guillaume Schmitt & Elena Salikhova, par francês de juventude (3º lugar), Nicolas Garciá & Masha Turlupova, os nossos já bem conhecidos vizinhos que ficaram em 5º lugar e, claro, o par que representa cada vez melhor o nosso país, ficando em 2º lugar nesta competição, Carlos Custódio e Elena Plescenco.

Nesta competição, IDSF Open Latin, e num total de 56 pares, os professores fizeram quartos de final e terminaram na 18ª posição. Ficámos muitos satisfeitos com a nossa prestação e notamos que, em competições internacionais, as nossas classificações têm melhorado significativamente e têm sido proporcionais à evolução que temos tido.

Já o Ricardo e a Helena, pela segunda vez a participar em competições IDSF, ficaram em 39º lugar. Tendo em conta que passavam 36 pares aos oitavos de final, foi pena eles terem ficado à porta de mais uma ronda. No entanto, numa competição em que só participaram pares open, e considerando que eles têm menos de um ano de experiência neste escalão, o lugar foi muito bom. Entretanto, em Juventude Open, resolveram repetir a façanha e ficar à porta da meia-final, em13º lugar, num total de 24 pares. É verdade que eles costumam fazer meia-final, mas, azar dos azares, ficaram num heat com 4 dos habituais finalistas e mais dois pares que costumam ficar em 7º e 8º. Não tinham grandes possibilidades de passar. Como tiveram esta classificação é que eu não sei!Foi mesmo muito boa, dadas as circunstâncias. Espero que sirva de incentivo para trabalharem muito mais e muito melhor.

Quanto ao campeonato nacional, o Tiago e a Raquel tiveram uma experiência diferente, competindo em conjunto com os Juniores I Iniciados, e ficaram em 8º lugar num total de 22 pares. Também acharam piada ao Amaral e Helena e resolveram ficar à porta de uma final de 7 pares. Não passaram por uma cruz, o que é sempre interessante saber. A prestação deles nos quartos de final foi muito boa, mas o CC achou que não era giro correr bem duas vezes seguidas, e fez umas asneiras na meia-final. Parece-me que sofreu as consequências.

O Manuel e a Sara ficaram em 9º lugar num total de 14 pares. Foi um bom lugar, dentro do escalão a que pertencem. A prestação deles mostrou evolução em vários aspectos, mas falhou em alguns momentos. A Sara perdeu a força nas pernas na rumba (é verdade!5 da manhã não ajuda), e com isso perdeu toda a expressão. Tiveram ainda que lutar contra a crónica falta de espaço para dançar, mas isso, obviamente, foi um problema de todos. O Manuel está de parabéns pelo investimento que fez num novo look. É assim que tem de ser.

Gostaria ainda de relembrar que o Daniel e a Marta estavam inscritos para competir, mas a praxe roubou-os à última aula e a todo e qualquer ensaio que pudesse existir durante a semana. Isso para além de estarem esgotados com "micados humanos", flexões e coisas do género.
Isto para dizer que eles não foram competir, terão que pagar o número e são o exemplo do cumprimento de uma regra da escola que já todos conhecem.Não se esqueçam disso.

Aproveito ainda para desejar as melhoras ao Nuno, que estava inscrito mas lesionou-se no pé. Esperemos que tenha uma recuperação o mais rápida possível.

Espero, finalmente, que a Catarina tenha chegado até este parágrafo, uma vez que ela acha que os meus textos são muito grandes.

Aqui fica a completa reportagem efectuada pelas meninas Sara Rocha e Helena Tavares, que foram excelentes repórteres mas estão neste momento a ser amaldiçoadas porque me deram as imagens mais pesadas do mundo, que nunca mais carregam :

Sara e Helena a ver quem fica mais gira.


Agora a ver se o Manuel está à altura da competição.

Agora a ver quem tem dentes mais brancos.



Na, não se nota nada que tenho o corpo castanho e a cara branca. Nadinha.


Ai, Raquel, não consigo tirar os olhos de ti : )

Pronto, já tirei os olhos da Raquel.



Agora, passemos à acção:
Manuel e Sara, Juventude Iniciados.


É... e depois não tens tempo de fazer a tua entrada de rumba ...Pois, pois...


Ricardo e Helena. Ela ficou linda : )


Vasco e Ana desfocados.


Meninas, toca a pedir desculpas ao CC e à Raquel por não terem fotos deles a dançar.


Risota para terminar:


4 comentários:

Vasco Rigolet Neves disse...

A escola está de parabéns, pois todos os seus representantes tiveram boas prestações!

Começando pelo CC e pela Raquel, que foram os primeiros a dançar e que tiveram que lidar com mais de uma dezena de pares numa pista minúscula, que foram apurados para a meia final.

Tanto nos quartos como na meia final a atitude em pista foi bem melhor que o habitual (valeu a pena o trabalho!). Apenas a confusão em pista, uma colocação menos feliz nos esquemas de rumba e de chacha e um jive fora da música os impediram de fazer final.

O Amaral e a Helena melhoraram em relação ao último campeonato (felizmente!) e apesar de terem obtido um excelente resultado considerando o heat em que foram colocados devem trabalhar muito mais em conjunto para prosseguirem a sua evolução. Depois do fôlego inicial e da excelente preparação que tiveram têm agora que investir seriamente na sua evolução como par e ultrapassar erros técnicos, de comando e de expressão que carecem de um trabalho regular, sério e em conjunto. Já não basta trabalhar uma vez por semana em conjunto, como parecem continuar a fazer!

Manuel e Sara continuam a progredir e mesmo num escalão de elevado nível e cujos pares finalistas têm bastante mais experiência, conseguem marcar pontos e ser apreciados pelos júris estrangeiros (que surpresa...). É continuar a trabalhar e a ver mais dança p.f.!

Relativamente à competição IDSF, onde se estrearam Amaral e Helena (desde que estão em Open) e participou o par Vasco e Ana, os resultados foram também positivos! Apesar de tristes por não terem passado a repesca, o Ricardo e a Helena conseguiram ficar entre os melhores nessa parte da competição, não tendo passado aos 48 melhores por uma unha negra!

Eu e a Ana obtivemos um 18º lugar que, apesar de ser bom, continua a ser obtido exclusivamente graças às cruzes dadas pelos júris estrangeiros! Estranho não é? Quando se começam a fazer algumas contas de cabeça e se pensarmos que o normal seria termos umas 3 cruzinhas de cada júri nacional (já para não dizer 5, como têm muitos compatriotas nossos mais "conhecidos" dos nossos júris) não podemos ficar totalmente satisfeitos! Mesmo assim, os nossos resultados em campeonatos internacionais têm melhorado imenso neste último trimestre.

Falta ainda mencionar que, apesar da dureza desta jornada, foi mais uma vez um prazer confraternizar convosco. Sentimos a falta do Nuno e da Isabel e do grande Paulo, que estarão de volta brevemente, bem como de outros pares que, por motivos académicos e de mudanças de pares têm estado mais ausentes destas andanças.

Vasco Rigolet Neves disse...

Como ninguém comenta este tópico, vou escrever outra opinião! Assim, pelo menos, vou trocando ideias com a professora, que veja pouco regularmente...

Relativamente à final e comparando os pares que ficaram nos 2º e 3º lugares, devo dizer que considerei a classificação totalmente aceitável, ao contrário do que tenho ouvido e da opinião do meu aluno e amigo Amaral! Se a classificação destes pares fosse invertida também não me chocaria mas considero que o par que ficou em segundo lugar tem uma dança muito mais madura. Apesar do aparato e da velocidade do par francês, a dança do "nosso" par é muito mais equilibrada e, frequentemente, mais rápida. Tendo em conta que o conceito de velocidade está associado à própria mudança de velocidade, o par português tem contrastes muito mais definidos.

Considero que deveriam opinar mais sobre este campeonato, sobre as vossas ideias de dança e sobre as vossas prestações! Este poderia ser um espaço muito mais útil se o fizessem e poderia contribuir para vos motivar, aprender e ganhar mais um pouco de cultura de dança.

Abraços!

Macedo disse...

Eu sou a favor do ajuste de contas... Gostei muito de ver os profs a dançar. Tao de Parabens!

Ana Oliveira disse...

Olá Macedo! Foi preciso vir o responsável de outra escola mostrar aos nossos alunos como comentar um tópico! É que eles às vezes enganam-se nos botões, isto de computadores não é com eles : )
Obrigada pelo elogio...é sempre bom saber, principalmente numa fase em que tendinites no joelho e alguma falta de ânimo não estão a ajudar nos treinos. Temos que tentar recuperar...
Ficas então responsável por denunciar publicamente o dançarino que nos deixou uma hora, em plena madrugada, a secar nos carros.
Estamos à espera : )